Jacó e o vau do Jaboque - 3/10/2001

Quando Deus luta para nos abençoar

(vau - trecho raso do mar ou do rio onde se pode transitar à pé, ou à cavalo).

Gênesis 32: 22 - 32:

  • 22 "Levantou-se naquela mesma noite, tomou suas duas mulheres, suas duas servas e seus onze filhos e transpôs o vau de Jaboque. (Jaboque é um tributário do rio Jordão, desaguando nele cerca de 39 quilômetros ao norte do mar Morto. A palavra" Jaboque. significa "lutar").
  • 23 Tomou-os e fê-los passar o ribeiro; fez passar tudo o que lhe pertencia,
  • 24 ficando ele só; e lutava com ele um homem, até ao romper do dia.
  • 25 Vendo este que não podia com ele, tocou-lhe na articulação da coxa; deslocou-se a junta da coxa de Jacó, na luta com o homem.
  • 26 Disse este: Deixa-me ir, pois já rompeu o dia. Respondeu Jacó: Não te deixarei ir se não me abençoares.
  • 27 Perguntou-lhe, pois: Como te chamas Ele respondeu: Jacó.
  • 28 Então disse: Já não te chamarás Jacó, e, sim, Israel: pois como príncipe lutaste com Deus e prevaleceste.
  • 29 Tornou Jacó: Dize, rogo-te, como te chamas? Respondeu ele: Por que perguntas pelo meu nome? E o abençoou ali.
  • 30 Àquele lugar chamou Jacó Peniel, pois disse: Vi a Deus face a face, e a minha vida foi salva.
  • 31 Nasceu-lhe o sol, quando ele atravessava Peniel; e manquejava de uma coxa.
  • 32 Por isso os filhos de Israel não comem, até hoje, o nervo do quadril, na articulação da coxa, porque o homem tocou a articulação da coxa de Jacó no nervo do quadril."

"O que significa tudo isso? Significa que Jacó esteve lutando contra Deus durante toda a sua vida. O conflito junto ao Jaboque simboliza a sua luta de toda uma vida. Sua vida pregressa o levara àquele ponto e o restante dela começaria ali. Até aquele momento, a sua vida fora uma longa tentativa de resistir à bondade de Deus. Como acontece com muitas pessoas, tinha sido uma luta contra um Deus que estava determinado a abençoá-lo e ajudá-lo". ("Ousadia na oração" - John White - ABU Editora)

Ao lermos o texto, o primeiro fato que notamos é que Jacó não é o agressor (lutava com ele um homem). Ele não teve escolha e teve de lutar. Mas, por que Deus resolveu lutar? Por que Deus se reduziu (em forma humana) para não levar vantagem sobre um adversário mais fraco? (pelo menos vemos que ele o fez até ver clara mente que Jacó não tinha intenção de desistir).

Entendendo a luta

O início da luta: Gên 25: 21 - 26

  • 21 Isaque orou ao Senhor por sua mulher, porque ela era estéril; e o Senhor lhe ouviu as orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu.
  • 22 Os filhos lutavam no ventre dela; então disse: Se é assim, porque vivo eu? E consultou ao Senhor.
  • 23 Respondeu-lhe o Senhor: Duas nações há no teu ventre, dois povos nascidos de ti, se dividirão: um povo será mais forte que o outro, e o mais velho servirá ao mais moço.
  • 24 Cumpridos os dias para que desse à luz, eis que se achavam gêmeos no seu ventre.
  • 25 Saiu o primeiro, ruivo, todo revestido de pelo; por isso lhe chamaram Esaú.
  • 26 Depois nasceu o irmão; segurava com a mão o calcanhar de Esaú; por isso lhe chamaram Jacó. Era Isaque de sessenta anos quando Rebeca lhos deu à luz.

(Obs; Jacó significa "trapaceiro' ou" suplantador ")".

A luta continua: Conforme iam crescendo, parecia que a profecia sobre Jacó nunca ia se cumprir, pois Esaú era o favorito de seu pai Isaque. 'Isaque amava a Esaú, porque se saboreava de sua caça; Rebeca, porém, amava a Jacó "- Gen. 25:28. Dessa forma, além dos direitos de primogenitura, Esaú também herdaria a bênção de seu pai Isaque - um pronunciamento profético que os patriarcas faziam em seus leitos de morte em relação a seus filhos".

"Jacó certamente percebia tudo isso. Mas ele também deve ter sido informado por sua mãe sobre a promessa que Deus fizera. Porém, nem Rebeca nem Jacó levaram a promessa muita a sério. Certamente deduziram dali que Jacó tinha o direito à hegemonia sobre Esaú, mas a ambos faltava a confiança de que Deus daria o que havia prometido. Daí, se Jacó tinha de conseguir aquilo a que tinha direito, teria que se aproveitar de alguma fraqueza de Esaú, através de fraude e superstição. Desse modo, ele lutou durante metade de sua vida para obter as coisas que Deus planejara lhe dar de qualquer forma. No final, ele obteve exatamente o que Deus havia prometido (mas, nada mais). Tragicamente, nessa luta ele perdeu a paz e a comunhão com Deus, as quais, de outra forma, teria desfrutado. Deus queria que ele recebesse a herança, mais a paz e a comunhão. Em lugar disso, Jacó teve vinte e um anos de ansiedade".( Ousadia na oração - John White - ABU Editora)


Tentando dar uma "mãozinha" a Deus: Gen 25: 29 - 34
A conquista do direito de primogenitura

  • 29 "Tinha Jacó feito um cozinhado, quando, esmorecido, veio do campo ESAÚ",
  • 30 e lhe disse: Peço-te que me deixes comer um pouco desse cozinhado vermelho, pois estou esmorecido. Daí chamar-se Edom.
  • 31 Disse Jacó: Vende-me primeiro o teu direito de primogenitura.
  • 32 Ele respondeu: Estou a ponto de morrer; de que me aproveitará o direito de primogenitura?
  • 33 Então disse Jacó: Jura-me primeiro. Ele jurou, e vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó.


Continuando a dar uma "mãozinha" a Deus: Gen 27:1 -46.


A conquista da bênção de Isaque
Resumindo, "um dia Isaque, cego e sentindo a proximidade da morte, mandou que Esaú fosse caçar. Se ele tinha de dar a bênção patriarcal, queria fazê-lo de barriga cheia. Mas Rebeca e Jacó enganaram Isaque. Ela preparou o tipo de prato que Isaque estava esperando, vestiu Jacó com peles de cabritos e o mandou a seu pai para receber a bênção que seria de Esaú".(idem)

Fugindo da raiva de Esaú: Gen.27: 41-44

  • 41 Passou Esaú a odiar a Jacó por causa da bênção com que seu pai o tinha abençoado; e disse consigo: Vêm próximos os dias de luto por meu pai; então matarei a Jacó, meu irmão.
  • 42 Chegaram aos ouvidos de Rebeca estas palavras de Esaú, seu filho mais velho; ela, pois, mandou chamar a Jacó, seu filho mais moço, e lhe disse: Eis que Esaú, teu irmão, se consola a teu respeito, resolvendo matar-te.
  • 43 Agora, meu filho ouve o que te digo: Retira-te para a casa de Labão, meu irmão, em Harã;
  • 44 fica com ele alguns dias até que passe o furor de teu irmão ".

Recebendo as promessas de Deus, e mesmo assim querendo "amarrar Deus com ele" (continua bancando o esperto!).

O sonho e a promessa de Jacó: Gen 28:10 - 22

"Uma noite, quando dormia sob o céu aberto, tendo uma pedra por travesseiro, sonhou com uma escada pela qual os anjos subiam ao céu e desciam O Senhor se pôs ao seu lado e lhe fez uma série de promessas surpreendentes".
Primeiro assegurou a Jacó que o território de centenas de quilômetros ao redor seria dado aos seus descendentes. Estendendo mais ainda a promessa, Ele disse que o mundo todo seria abençoado através daqueles mesmos descendentes. E para tranquilizá-lo quanto aos perigos que havia de enfrentar, reais e imaginários, garantiu-lhe a sua presença e proteção pessoal até Jacó retornar a salvo ao lar."(idem)".
Então Jacó despertou, erigiu um altar a Deus, e jurou que "se Deus cumprisse aquelas palavras de guardá-lo naquela jornada e de volta ao lar, então Deus seria o Deus de Jacó e a esse Deus Jacó daria os dízimos".

"Se Deus o trouxesse de volta em segurança, então Deus seria o Deus de Jacó, e este lhe dedicaria um décimo de suas riquezas. Era confortador (embora assustador) ser informado de que Deus faria tanta coisa por ele. Mas seria imprudência apegar-se demasiadamente à promessa. Não temos meios de descobrir qual era o raciocínio de Jacó. Talvez jamais lhe ocorresse que duvidar da integridade do Deus Altíssimo era pecado. O que está claro é que ele adotou uma atitude de" ver para crer "com relação às promessas. E de suas ações subseqüentes podemos ter certeza de que ele pretendia" dar uma mãozinha "às promessas com todo tipo de ardis que pudesse imaginar".

Será que às vezes não fazemos o mesmo? Será que, às vezes, não queremos dar uma "mãozinha" a Deus?

Trabalhando, mas sendo enganado por um tio trapalhão:

1. Jacó foi enganado em seu casamento - após trabalhar sete anos para casar com Raquel, a filha mais jovem de Labão, casaram-no com Lia, e teve de se comprometer de trabalhar mais sete anos para casar-se com a amada Raquel.
2. Teve um relacionamento de desconfiança com Labão por causa de negócios (este por dez vezes mudou o seu salário - Gen 31:7. Cada um procurava levar vantagem sobre o outro).
A coisa mais importante num relacionamento com Deus não é o que a pessoa ganha em segurança pessoal ou prosperidade material, mas em comunhão com Ele e paz de espírito. Você pode estar em perfeita segurança, mas sem experimentar nenhuma paz. Ainda que Jacó não o soubesse estava seguro.

Deixando o tio (mas se reconciliando com ele)

Tendo deixado Labão, em segredo, Deus promoveu que, dessa vez, a fuga de Jacó não fosse como foi com Esaú, e Jacó e Labão se afastaram, mas reconciliados, sem mágoa.
Gen 31:26-(55). Deus não permitiu que acontecesse com Jacó e Labão o mesmo corte de relações que acontecera entre Jacó e Esaú.

O retorno à parentela - aprendendo a depender de Deus.
Alguns de nossos caminhos mais difíceis é quando retornamos à nossa parentela. Parece que aqui as dificuldades se multiplicam e a nossa energia diminui. Jacó chega a estabelecer uma estratégia de presentes para "amansar o irmão", mas quando soube que Esaú vinha até ele com quatrocentos homens... Teve medo.

Gen 32:6-13

  • 6 Voltaram os mensageiros a Jacó, dizendo: Fomos a teu irmão Esaú; também ele vem de caminho para se encontrar contigo, e quatrocentos homens com ele.
  • 7 Então Jacó teve medo e se perturbou; dividiu em dois bandos o povo que com ele estava, e os rebanhos, os bois e os camelos.
  • 8 Pois disse: Se vier Esaú a um bando e o ferir, o outro bando escapará.
  • 9 E orou Jacó: Deus de meu pai Abraão, e Deus de meu pai Isaque, ó Senhor que me disseste: Torna à tua terra, e à tua parentela, e te farei bem;
  • 10 sou indigno de todas as misericórdias e de toda fidelidade, que tens usado para com teu servo; pois apenas com o meu cajado atravessei este Jordão; já agora sou dois bandos.
  • 11 Livra-me das mãos de meu irmão Esaú, porque eu o temo, para que não venha ele matar-me, e as mães com os filhos.
  • 12 E disseste: Certamente eu te farei bem, e dar-te-ei a descendência como a areia do mar, que, pela multidão, não se pode contar.
  • 13 E, tendo passado ali aquela noite, separou do que tinha um presente para seu irmão Esaú.

A luta (Gen. 32:22-32)

Deus veio mostrar para Jacó que a sua luta não era contra Labão ou Esaú, mas contra o próprio Deus. Jacó descobre isso no decorrer da luta, e mesmo machucado, não larga aquele com quem luta reconhecendo que o mesmo pode abençoá-lo."O fato de aleijá-lo e dar-lhe outro nome mostra que os fins de Deus continuavam sendo os mesmos; queria ter para Si toda a disposição que Jacó tinha para vencer, alcançar, conseguir, mas expurgada da auto-suficiência, e reorientada para o objeto certo do amor humano - Deus mesmo"."Gênesis - comentário de Derek Kidner-Editora Mundo Cristão".

Como acontece com muitas pessoas, tinha sido uma luta contra um Deus que estava determinado a abençoá-lo e ajudá-lo. Deus está lutando com você? Ele não quer colocá-lo em uma situação de miséria em que você não tenha outra escolha a não ser lançar-se sobre a misericórdia dEle. Mas Ele o fará se necessário. Talvez já o tenha feito.

"Não te deixarei ir se não me abençoares".

Eram as palavras que Deus estava esperando há mais de quarenta anos. Ele preferia que Jacó tivesse reconhecido a sua impotência e tivesse se lançado sobre a misericórdia divina muito tempo antes. Ele não queria reduzi-lo àquela condição extrema, mas Jacó deixou-lhe pouca escolha. E a resposta de Deus foi rápida. Jacó tinha vencido através de sua dependência e desamparo.

Jorge Wilson



IBMorumbi