Celebração de Páscoa


Ano 2009


 

Cenário:

As cadeiras ficam em semicírculo voltadas para a parede onde terá a representação da Trindade: a cruz representa o Filho e as duas velas representam o Pai e o Espírito Santo.


Início da Celebração (toque de sino, se houver)




Queremos saudar a todos os presentes que vieram estar conosco em nossa Celebração de Páscoa. Temos à nossa frente a representação da Trindade. As duas velas representam o Pai e o Espírito Santo e a cruz representa o Filho. Convidamos duas pessoas para acender as duas velas e orar para iniciar nossa celebração”.

Participaremos de nossa celebração em sete fases que chamaremos Estações. Membros da comunidade lerão as estações enquanto faremo silêncio, ouvindo suas palavras e deixando que a cruz e as velas toquem nossa sensibilidade e no falem do mistério do sacrifício de Cristo. Serão observadas pausas de um minuto entre as leituras das Estações para que as palavras possam reverberar dentro de nós e nos trazer a uma maior intimidade com o Cristo da Páscoa.

Fiquemos em silêncio aguardando o início da leitura da Primeira Estação.

Primeira estação:

-A história da Páscoa começa no Egito quando os judeus ainda eram apenas um povo escravizado. Moisés foi enviado por Deus para libertar o seu povo daquela escravidão. Como o Faraó Ramsés não permitiu a saída dos hebreus, Deus começou uma série de manifestações sobrenaturais para revelar-se, não só aos judeus como também aos egípcios.

-Depois de enviar várias pragas, ou manifestações sobrenaturais na vida daquele povo, o Faraó Ramsés permanecia irredutível, então Deus manda Moisés anunciar a morte de todo primogênito na terra do Egito.

-Para proteção dos primogênitos israelitas, Deus instituiu o método pelo qual estariam livres da morte: Toda família deveria matar um cordeiro sem defeito físico, pegar um feixe de ramos molhar no sangue que estivesse na bacia usada para sangrar o animal e passar o sangue no alto e nos lados da porta da casa.

-E assim quando o anjo da morte passasse para matar os primogênitos dos egípcios e encontrasse o sangue na porta, o anjo passaria adiante, passaria por cima e não mataria os filhos dos israelitas. E seguindo, pois esta orientação de Deus toda a nação de Israel foi salva e liberta das mãos de Faraó Ramsés!!!


-Então temos aqui a instituição da PÁSCOA:


Exodo 12:14: “Este dia será um memorial que vocês e todos os seus descendentes celebrarão como festa ao SENHOR. Celebrem-no como decreto perpétuo”.


(PAUSA DE I MINUTO)





Segunda estação:


O profeta Isaías 650 anos antes de Cristo já previra a vinda e o sofrimento do Messias”:


ISAIAS 52:13 A 53:12

O Sofrimento e a Glória do Servo do SENHOR


13 Vejam, o meu servo agirá com sabedoria; será engrandecido, elevado e muitíssimo exaltado.

14 Assim como houve muitos que ficaram pasmados diante dele; sua aparência estava tão desfigurada, que ele se tornou irreconhecível como homem; não parecia um ser humano;

15 de igual modo ele aspergirá muitas nações,e e reis calarão a boca por causa dele. Pois aquilo que não lhes foi dito verão,e o que não ouviram compreenderão.


1 Quem creu em nossa mensagem? E a quem foi revelado o braço do Senhor?

2 Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia

em sua aparência para que o desejássemos.

3 Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de dores e experimentado no sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi

desprezado, e nós não o tínhamos em estima.

4 Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; contudo nós o consideramos castigado por Deus, por Deus atingido e

afligido.

5 Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e

pelas suas feridas fomos curados.

6 Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós.

7 Ele foi oprimido e afligido; e, contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores

fica calada, ele não abriu a sua boca.

8 Com julgamento opressivo ele foi levado. E quem pode falar dos seus descendentes? Pois ele foi eliminado da terra dos viventes; por causa da transgressão do

meu povo ele foi golpeado.

9 Foi-lhe dado um túmulo com os ímpios, e com os ricos em sua morte, embora não tivesse cometido nenhuma violência nem houvesse nenhuma mentira em sua

boca.

10 Contudo, foi da vontade do Senhor esmagá-lo e fazê-lo sofrer, e, embora o Senhor tenha feito da vida dele uma oferta pela culpa, ele verá sua prole e

prolongará seus dias, e a vontade do Senhor prosperará em sua mão.

11 Depois do sofrimento de sua alma, ele verá a luz e ficará satisfeito;d pelo seu conhecimento meu servo justo justificará a muitos, e levará a iniqüidade deles.

12 Por isso eu lhe darei uma porção entre os grandes, e ele dividirá os despojos com os fortes, porquanto ele derramou sua vida até a morte, e foi contado entre

os transgressores. Pois ele levou o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu.

(PAUSA DE 1 MINUTO)





Terceira estação:


João Crisóstomo, homem a quem o Oriente Cristão chamou «Boca de Ouro», por causa dos seus dons poéticos na expressão da oração. João nasceu em Antioquia, na atual Turquia, no seio de uma família aristocrata. Profundamente influenciado pela fé da sua mãe, estudou a Escritura sob a orientação de professores da escola de Antioquia que procuravam traduzir o pensamento bíblico em categorias gregas sem se perder o seu significado original.

Tinha uma capacidade excepcional para explicar a Boa-Nova de Cristo apaixonadamente e na linguagem e cultura do seu tempo; um forte ênfase dado às conseqüências sociais do Evangelho; um esforço para tornar bela a oração e para transmitir a reflexão teológica de forma poética.

Em Antioquia, onde foi ordenado padre em 386. Tornou-se famoso pela sua capacidade de associar textos bíblicos à vida e às questões das pessoas. Por vezes conseguia falar duas horas sem parar, encorajado pelas ovações e aplausos dos seus ouvintes. Como resposta ao luxo e à ociosidade dos ricos, realçou a importância de ter coisas em comum, do trabalho e da necessidade de libertar os escravos; apelou à partilha individual e colectiva (chegou a idealizar um plano para acabar com a pobreza em Antioquia). A solidariedade, mais do que um trabalho de uma boa consciência, era para ele um sacramento, o sinal da presença real de Cristo no mundo. Comentando frequentemente a frase de Jesus: «O que fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim mesmo o fizestes», concluiu que um pobre é «outro Cristo» e que o «sacramento do altar» tem de ser continuado «na rua» pelo «sacramento do irmão».

(http://www.taize.fr/pt_article4932.html)

João Crisostomo escreveu esse sermão poético de Páscoa que ouviremos agora:





O Sermão De Páscoa De

São João Crisóstomo (347-407)

(Arcebispo de Constantinopla).

Há alguém que é amante devoto de Deus?

Deixa-os desfrutar esta festa resplandecente!

Há alguém que é um servo grato?

Deixa-os se deleitarem e entrarem na alegria de seu Criador!

Há alguém aborrecido com o jejum?

Deixa-os receber agora suas remunerações!

Se alguém trabalhou na primeira hora, deixa-os receberem suas gratificações!

Se alguém chegou após a terceira hora, deixa-o juntar-se à Festa com gratidão!

E ele, que chegou após a Sexta hora, não o deixa duvidar; ou ele também sustentará a perda.

E se alguém se atrasou até a nona hora, não o deixa hesitar; mas deixa-o vir também.

E ele, que chegou somente na décima-primeira hora, não o deixa Ter medo por sua demora.

Pois Deus é Bondoso e recebe o último igual ao primeiro.

Ele dá paz a aquele que chega na décima-primeira hora, tanto quanto se ele tivesse trabalhando desde a primeira hora.

A estes Ele dá e junto aos outros Ele concede.

Ele aceita o trabalho tanto quanto acolhe o esforço.

A proeza, Ele honra, e a intenção, Ele aprova.

Vamos todos entrar na alegria de Deus!

Primeiro e último, igualmente recebem sua recompensa; rico e pobre, se alegram juntos!

Sensato e preguiçoso, celebram o dia!

Você que guardou o jejum, e você que não jejuou,

alegrem-se hoje, pois Mesa esta farta com opulência!

Festeja regiamente, o novilho é cevado.

Não deixe ninguém ir com fome. Participem todos da taça da fé!

Desfrutem todas riquezas de Sua bondade!

Não permita que ninguém se aflija em sua miséria,

Pois o reino universal foi revelado.

Não deixa ninguém lamentar-se porque caiu de novo e novamente;

pois o perdão ergueu-se do túmulo.

Não deixa ninguém temer a morte, pois a Morte do nosso Salvador nos libertou.

Ele a destruiu por tê-la suportado.

Ele destruiu o Inferno quando desceu até ele.

Ele o colocou num túmulo mesmo que ele tinha o gosto de Sua carne.

Isaíais profetizou isto quando disse,

"Você, oh inferno, se perturbou quando O defrontou"

O inferno estava em tumulto porque foi liquidado.

Ele estava em tumulto porque está escarnecido.

Estava em tumulto pois está destruído.

Está em tumulto, pois está aniquilado.

Está em tumulto, pois agora está prisioneiro.

O inferno pegou o corpo, e descobriu Deus.

Tomou a terra e encontrou o Céu.

Tomou o que viu, e vencido pelo que não viu.

Oh, morte, onde está sua tormenta?

Oh, inferno, onde está sua vitória?

Cristo está ressuscitado, e você, oh morte, está aniquilada!

Cristo está ressuscitado, e os perversos estão derrubados!

Cristo está ressuscitado, e os Anjos se alegram!

Cristo está ressuscitado, e a vida está libertada!

Cristo está ressuscitado, e o túmulo está vazio da morte; pois Cristo se ergueu da morte,

Estão vindo os primeiros-frutos daqueles que adormeceram.

A Ele a Glória e o Poder para todo o sempre. Amém!



(http://igrejacatolicaortodoxa.blogs.sapo.pt/4531.html - acessado em 3/3/2009)


(PAUSA DE 1 MINUTO)



Quarta estação:

-Mais tarde, quando Jesus veio ao mundo, foi apresentado como o “...Cordeiro que tira o pecado do mundo” (João 1:29), ou seja, Jesus foi identificado com o mesmo cordeiro da “Páscoa Judaica”, que a exemplo daquele, foi morto para que todos aqueles que NELE crer não pereça mas tenha vida eterna!

-Então na verdade, Jesus hoje é a nossa PÁSCOA! Jesus vem substituir a “Páscoa Judaica”. No Evangelho de Mateus, capítulo 26 é narrada a celebração da última páscoa em que Jesus participou com seus discípulos :

26 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos seus discípulos, dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”.

27 Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: “Bebam dele todos vocês.

28 Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados.

29 Eu lhes digo que, de agora em diante, não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que beberei o vinho novo com vocês no Reino de meu Pai”.Mateus 26:26-29



Aqui temos a instituição da páscoa pelo Senhor Jesus, oferecendo sua vida, simbolicamente representada pelo PÃO (sua carne) e pelo VINHO (seu sangue), que ELE derramaria no calvário pelo meu pecado e pelo seu pecado!

(PAUSA DE 1 MINUTO)



Quinta estação:


Relato da crucificação conforme Evangelho de Lucas capitulo 23


33 Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram com os criminosos, um à sua direita e o outro à sua esquerda.

34 Jesus disse: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”. Então eles dividiram as roupas dele, tirando sortes.

35 O povo ficou observando, e as autoridades o ridicularizavam. “Salvou os outros”, diziam; “salve-se a si mesmo, se é o Cristo de Deus, o Escolhido.”

36 Os soldados, aproximando-se, também zombavam dele. Oferecendo-lhe vinagre,

37 diziam: “Se você é o rei dos judeus, salve-se a si mesmo”.

38 Havia uma inscrição acima dele, que dizia: ESTE É O REI DOS JUDEUS.

39 Um dos criminosos que ali estavam dependurados lançava-lhe insultos: “Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós!”

40 Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: “Você não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença?

41 Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas este homem não cometeu nenhum mal”.

42 Então ele disse: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”.

43 Jesus lhe respondeu: “Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso”.


A Morte de Jesus


44 Já era quase meio-dia, e trevas cobriram toda a terra até as três horas da tarde;

45 o sol deixara de brilhar. E o véu do santuário rasgou-se ao meio.

46 Jesus bradou em alta voz: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. Tendo dito isso, expirou.

47 O centurião, vendo o que havia acontecido, louvou a Deus, dizendo: “Certamente este homem era justo”.

48 E todo o povo que se havia juntado para presenciar o que estava acontecendo, ao ver isso, começou a bater no peito e a afastar-se.

49 Mas todos os que o conheciam, inclusive as mulheres que o haviam seguido desde a Galiléia, ficaram de longe, observando essas coisas

(PAUSA DE 1 MINUTO)





Sexta estação:

O sacrifício de Jesus veio nos tornar participantes da NOVA ALIANÇAconforme ensina o Livro de Hebreus cap.9:



11 Quando Cristo veio como sumo sacerdote dos benefícios agora presentes, ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem, isto é, não

pertencente a esta criação.

12 Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção.

13 Ora, se o sangue de bodes e touros e as cinzas de uma novilha espalhadas sobre os que estão cerimonialmente impuros os santificam, de forma que se tornam

exteriormente puros,

14 quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu de forma imaculada a Deus, purificará a nossa consciência de atos que levam à morte,

para que sirvamos ao Deus vivo!

15 Por essa razão, Cristo é o mediador de uma nova aliança para que os que são chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que ele morreu como

resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança. (Hebreus 9)



Sétima estação

-A palavra “PÁSCOA” vem da palavra hebraica que significa “PASSAGEM”. O anjo da morte passou por cima, não entrou nas casas e preservou a vida dos filhos dos Israelitas. - E dentro do contexto espiritual do que Jesus fez a PÁSCOA significa passagem da morte para vida; passagem de Deus para nos salvar; passagem da escravidão para a liberdade; passagem para um nova vida; passagem para um novo céu e uma nova terra.... - ESTE É O VERDADEIRO SIGNIFICADO DA PÁSCOA!

-Portanto, comemorar a PÁSCOA significa entender de mente, corpo e alma, que no centro da experiência da ressurreição está a cruz e o sacrifício. Significa festejar a NOVA VIDA que o sacrifício redentor de Jesus nos garante.

-Por isso quero esta noite relembrar com você qual a razão de estarmos aqui celebrando a PÁSCOA CRISTÃ: Somos informado pela PALAVRA DE DEUS, a BÍBLIA que na Sexta-Feira Santa, Jesus foi pregado na cruz do Calvário e ali vilipendiado, humilhado e perfurado. Morreu como um ladrão. Aparentemente um final trágico....

-Mas diz o texto bíblico porém.. que três dias depois, ELE foi em glória devolvido da morte... Ressurgiu dos mortos, tornou-se vitorioso sobre o inimigo e está vivo para reinar para todo sempre!

-Por isso agora o túmulo é o drama sagrado da alma humana. MORTE? .... a morte não mata! Jesus ressuscitou com um corpo renovado e da mesma forma todos os crentes em Jesus Cristo terão um corpo glorioso e serão como ELE, assim como diz em I JOÃO 3:2: “...Quando ELE se manifestar, seremos semelhantes a ELE”.

-Que você seja encorajado esta noite a crer que o poder que ressuscitou a Jesus CRISTO da morte, é o mesmo poder que pode habitar em você neste momento, e irá capacita-lo a enfrentar as dificuldades e as circunstâncias da vida, como lemos em Hebreus.


HEBREUS 10:15-25


15 O Espírito Santo também nos testifica a este respeito. Primeiro ele diz:

16 “Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor. Porei as minhas leis em seu coração e as escreverei em sua mente”b;

17 e acrescenta: “Dos seus pecados e iniqüidades não me lembrarei mais”c.

18 Onde esses pecados foram perdoados, não há mais necessidade de sacrifício por eles.

19 Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus,

20 por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo.

21 Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus.

22 Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma

consciência culpada, e tendo os nossos corpos lavados com água pura.

23 Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel.

24 E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras.

25 Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.(PAUSA DE 1 MINUTO)



Final da Celebração:

Para terminar, oremos juntos agora a Oração do Senhor, conforme está no Evangelho de Mateus 6:9-13:


9 “Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome.

10 Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.

11 Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia.

12 Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores.

13 E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.



Que o amor do Pai, a graça de Jesus e as consolações do Espírito possam nos acompanhar e nos abençoar nessa Páscoa!

Saudemo-nos uns aos outros com o gesto abençoador





IBMorumbi